Publicado em

A Origem do Cavalo Nordestino

O cavalo Nordestino faz parte da colonização do Brasil mais antiga, em toda região Nordeste, e ainda faz parte do dia a dia do povo dessa região. A raça tal qual conhecemos foi originada diretamente do Barbo, também chamado de Bérbere ou Norte-Africano, cavalo de batalha utilizado pelos Turcos muçulmanos e que foram introduzidos no Brasil por Portugal no período colonial.

O Cavalo Barbo, o Árabe e o Turquiano são consideradas raças tronco, uma vez que delas se originaram todas as outras raças que conhecemos atualmente. Alguns historiógrafos afirmam que o Brasil recebeu os primeiros cavalos vindos com outras espécies domésticas das ilhas da Madeira e das Canárias, em 1534, por iniciativa da esposa de Martin Afonso de Souza, Dona Ana Pimentel, posteriormente em 1535, Duarte Coelho inicia a sua criação em Pernambuco, mas a notícia concreta, através de documentos, da primeira introdução desta espécie em nosso País é dada por Tomé de Souza em 1549 recebendo cavalos de Cabo Verde.

Coube a Garcia D’Ávila, senhor da Casa da Torre (Tatuapara), no litoral na Bahia, o trunfo de disseminar bovinos e equinos por todo interior do nordeste principalmente através do Rio São Francisco (Rio dos Currais) enfrentando condições difíceis de sobrevivência com escassez de água e alimentos, sendo esses de péssima qualidade, sem falar nos terrenos quentes e pedregosos, tocados sem ferradura, assim foi sendo forjado a única raça no mundo que mais possui características idênticas ao cavalo Berbere.

E foi assim que esses animais evoluíram e se adaptaram de tal maneira ao clima árido, que se tornaram uma raça única, o Cavalo Nordestino.